Educação, Estado e Políticas Públicas
EMail

Estudos e pesquisas sobre questões teóricas e metodológicas no âmbito da relação entre Educação e Políticas Públicas. Estado, organizações multilaterais e relação capital-trabalho na definição de políticas públicas no capitalismo contemporâneo. Planos, programas, ações e políticas públicas de educação.
Eneida Oto Shiroma (M e D) – Trabalho e política educacional. Organizações Multilaterais e educação. Redes de Políticas Públicas. Políticas para docentes. Trabalho

Luciana Pedrosa Marcassa (M) -  Educação, Trabalho e Políticas Públicas, Políticas para a Educação Básica, Políticas de combate às desigualdades sociais e escolares, Políticas compensatórias; Escolarização em zonas de vulnerabilidade social.

Olinda Evangelista (M e D) – Política educacional. Políticas públicas para a escola. Políticas de formação docente. Profissionalização docente. Trabalho docente.

Rosalba Maria Cardoso Garcia (M e D) – Política educacional e educação especial. Trabalho docente e educação especial.  Política educacional e formas organizativas do trabalho pedagógico na educação especial.

 

PROJETOS DE PESQUISA

 

ENEIDA OTO SHIROMA

TÍTULO: Redes de políticas públicas e governança da educação: pesquisando a convergência das políticas para docentes nas agendas para a próxima década
DESCRIÇÃO: Este projeto discute redes de políticas públicas tendo em vista compreender como induzem à formação de agendas para a educação. Pretendemos sistematizar as propostas para a próxima década elaboradas por agências multilaterais e pesquisar os processos pelos quais influenciam na formulação de políticas nacionais. O processo de produção, disseminação e circulação do conhecimento produzido pelo encontro de experts, reformadores e decisores de política educacional é ainda pouco pesquisado no Brasil. A etnografia de redes sociais constitui uma ferramenta fecunda para investigar o complexo processo de formulação de políticas públicas. Utilizaremos essa metodologia para mapear e analisar a composição das redes e adotaremos o materialismo histórico como referencial teórico para interpretar as ligações representadas nos sociogramas..

Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (3), Doutorado: (2), Graduação (1) .
Integrantes: Eneida Oto Shiroma – Coordenador / Mara Cristina Schneider – Integrante / Anibal Brito Neto – Integrante/ Eclea Vanessa Baccin – Integrante/ Fabiana Cherobin – Integrante / Juliana Matias Faust – Integrante / Fabricio Zimmermann Souza – Integrante/ Juliana Cristina de Assis – Integrante.

Financiador(es): CNPq – Bolsa PQ, Bolsa PIBIC e apoio do Edital Ciências Humanas.

 

LUCIANA PEDROSA MARCASSA

TÍTULO: Juventude Pobre e Escolarização: relações com a escola e a cultura em territórios de precariedade
DESCRIÇÃO: 
A presente pesquisa tem por objetivo investigar as relações que a juventude pobre estabelece com a escola considerando suas expectativas quanto ao término da educação escolar, os motivos que geram a evasão e a desescolarização, bem como seus engajamentos para além da escola. Situada no âmbito dos estudos sobre Educação, Trabalho e Políticas Públicas, a preocupação central desta pesquisa é conhecer o que mantém a juventude na escola, bem como o que a distancia do processo de escolarização, buscando identificar as forças sociais e os movimentos da/na sociedade civil que mobilizam ou enfraquecem a relação dos jovens das frações mais empobrecidas da classe trabalhadora com a escola, produzindo também outras articulações, por exemplo, com movimentos sociais e culturais, com organizações civis (ou mesmo criminosas) e com o mercado de trabalho. Pretende-se também mapear e discutir as políticas públicas (de inclusão, mais educação, educação integral e outras) que se inserem na agenda de combate às desigualdades sociais e escolares, e que assim redefinem a função social da escola, ampliando sua face assistencialista. Trata-se de uma pesquisa qualitativa de caráter exploratório-descritiva, que se utiliza de questionários, entrevistas, grupos focais e observações diretas registradas em diários de campo. Os sujeitos da pesquisa são os adolescentes e jovens das escolas públicas localizadas nos territórios do maciço do Morro da Cruz em Florianópolis, especialmente aqueles que estão finalizando o Ensino Fundamental e os que persistem no curso do Ensino Médio. Pretende-se com esta pesquisa evidenciar os fatores que desmotivam os jovens a investir em seu processo de escolarização, bem como aqueles que os mobilizam a investir na escola ou em outros projetos de formação e organização da cultura. Os temas que articulam esta pesquisa são: escola, trabalho, cultura, juventude, território, políticas públicas e organizações sociais. Palavras-chave: juventude, escola, políticas públicas, trabalho.

Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (2). 

Integrantes: Luciana Pedrosa Marcassa – Coordenador / Célia Regina Vendramini – Integrante / Jéferson Silveira Dantas – Integrante / Elisete Gesser Della Giustina Dacoregio – Integrante / Adriana D’Agostini – Integrante / Mauro Titton – Integrante / Natacha Eugênia Janata – Integrante / Sandra Luciana Dalmagro – Integrante / Soraya Franzoni Conde – Integrante / Glademir Alves Trindade – integrante (doutorado) / Deise Rateke – integrante (doutorado) / Patrícia Buss – integrante (mestrado) / Letícia Viglietti – integrante (mestrado) / Gilberto Nogara Junior – integrante (mestrado).

 

OLINDA EVANGELISTA

TÍTULO: Mapas da formação docente no Governo Lula (2002/2010)
DESCRIÇÃO: O presente projeto objetiva construir mapas sobre o professor no Brasil, sistematizando dados coligidos nas fontes disponíveis, particularmente nos microdados do Educacenso e do Censo do Ensino Superior do INEP. O propósito não é produzir o dado, mas extraí-los das bases existentes, compilá-los, organizá-los e interpretá-los articuladamente às políticas educacionais. Além dos INEP, outros bancos serão consultados, como os do Banco Mundial (BM) e da OCDE. Da equipe fazem parte membros treinados para uso do sistema SPSS e planilhas flexíveis, para o tratamento estatístico dos dados e uma geógrafa. O trabalho receberá a contribuição de pesquisadores do Laboratório de Geoprocessamento (LabGeop) da UFSC, para a realização dos mapas, em particular os anamórficos . As fontes documentais atinentes à política educacional coletadas para o projeto em finalização serão comparadas afim de se verificar seu impacto sobre os números. Este impacto será verificado entre 2000 e 2011, período que captará os resultados finais do Governo FHC e Lula. Verificar-se-á a evolução dos vários aspectos relativos ao professor, bem como as rupturas e permanências nos dois governos. Verificar-se-á ademais como essas questões se organizam regionalmente e por Estado da Federação, evidenciando desigualdades, concentrações, carências e desequilíbrios em termos de divisão de recursos econômicos e de professores.

Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (4) / Doutorado: (3)

Integrantes: Olinda Evangelista – Coordenador / Jocemara Triches – Integrante (Dr.) / Kamille Vaz – Integrante (Dr.) / Leda Letro – Integrante (M) / Aline Mandelli – Integrante (M) / Aline Inacio Decker – Integrante (M) / Rafael dos Santos Pereira – Integrante / Keila Berwanger – Integrante (G) / Renata Soares da Silva – Integrante (G) / Eliane Aguiar – Integrante (Dr.) / Joana D’Arc Vaz – Integrante (Dr.).

Financiador(es): CNPq – Bolsa PQ.

 

ROSALBA MARIA CARDOSO GARCIA

TÍTULO: Política de Educação Especial na Educação Básica: reconfiguração do trabalho docente
DESCRIÇÃO: A presente pesquisa tem como objetivo geral apreender as determinações do trabalho docente na Educação Especial no âmbito das políticas educacionais em vigor no Brasil. Tal objetivo está desdobrado em objetivos específicos: 1) Identificar e caracterizar os professores e demais trabalhadores em educação recrutados pelas redes de ensino para atuar com os estudantes da educação especial (número de trabalhadores por rede; designações; formação exigida; formação realizada; cargo/função; atividades que desenvolve; carga horária de atuação; faixa salarial); 2) Conhecer o lócus de atuação e as atribuições previstas para os professores de educação especial e demais trabalhadores em educação que atuam com os estudantes da educação especial na escola de ensino regular; 3) Compreender a concepção de trabalho docente na educação especial na educação escolar. Os procedimentos teórico-metodológicos previstos são: 1) Análise dos microdados do censo escolar/INEP e outras bases de dados disponíveis quando necessário complementar as fontes nacionais de estatística sobre trabalhadores em educação; 2) Análise qualitativa dos documentos representativos da política educacional brasileira: legislações, orientações e diretrizes, editais de recrutamento de trabalhadores em educação no recorte da pesquisa, entre outros materiais oficiais e oficiosos que possam contribuir para o desenvolvimento do presente projeto de pesquisa; 3) Entrevista semiestruturada com gestores de secretarias de educação de redes municipais de ensino para apreensão das atribuições dos trabalhadores em educação no recorte da pesquisa e compreensão do projeto educacional tomando a educação especial como sua expressão; 4) Revisão de literatura nacional e internacional pertinente ao foco da pesquisa. A base de referência empírica é a região sul do país do Brasil. Pretendemos, portanto, mobilizar dados das redes municipais de ensino das capitais: Curitiba, Florianópolis e Porto Alegre. Já em relação ao recorte temporal, tomaremos como referência as políticas de educação especial de perspectiva inclusiva, as quais remetem para o período pós-LDB 9.394/96.

Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (2) Doutorado: (1).

Integrantes: Rosalba Maria Cardoso Garcia – Coordenador / Kamille Vaz – Integrante / Rita de Cássia Kleber – Integrante / Barbara Karolina Araujo – Integrante.

 

GRUPOS E NÚCLEOS DE PESQUISA

GEPETO – Grupo de Estudo sobre Política Educacional e Trabalho (http://www.gepeto.ced.ufsc.br)

Políticas Públicas de Educação Especial

TMT – Núcleo de Estudos sobre as Transformações no Mundo do Trabalho (http://tmt.cfh.ufsc.br)

Facebook Twitter